mayo 19, 2022

Morelos Habla

España en España es para cualquier persona que viva en España, visite España o cualquier persona interesada en las últimas noticias, eventos y deportes en España. Descubra más ahora.

Energia eletromagnética puede causar ‘síndrome de Havana’, segundo EUA – Internacional

WASHINGTON – Algum tipo de energia eletromagnética puede estar por trás dos estranhos sintomas causas pela chamada «sindrome de la habana‘, que atinge dezenas de diplomatas americanos em varios países do mundo há cinco años, afirmou nesta quarta-feira, 2, um grupo de especialistas dos Estados Unidos.

O painel, criado pelo gobernador del presidente Joe Bidenexplicou em relatório divulgado nesta quarta-feira que os sintomas da «síndrome de Havana» não se explicam apenas por factores psicológicos, como estresse ou reações psicossomáticas corpo acabam no tendo impact.

Os especialistas disseram que algum tipo de energia eletromagnética, especialmente emitido a uma determinada frequência de rádio, podría ser uma explicação «plausível» para os sintomas, embora tenham advertido na que ainda «informaçãs».

O painel, que aparecieron cientistas de dentro e fora do Governmento, foi criado sob an autoridade do Escritório da Diretoria de Inteligência Nacional dos EUA e da CIA.

O objetivo não era determinar o responsável pelos incidentes, mas americano explicar os mecanismos que podem estar por trás dos danos sofridos pelos funcionários.

Para realizar o estudiar, los especialistas tiveram acceden a más de mil documentos confidenciales, incluidos los registros médicos de algumas das vítimas.

Más de 200 diplomatas y funcionários americanos em diferentes países sofreram sintomas da «síndrome de Havana», assim chamados porque foi em Havana que os estranhos problemas de saúde foram detectados pela primeira vez, em 2016.

Os afectados – en países como Cuba, China, Austria y Colombia, além de Washington – sofreram sintomas semelhantes aos das lesões cerebrais, como tonturas, dores de cabeça e incapacidade de concentração, e em alguns casos extremos tiveram que se aposentar.

READ  Las autoridades ucranianas informan de un ataque en Odessa

Em janeiro, una conclusión de la CIA não existem evidencias de que um país estrangeiro esteja por trás da «síndrome de Havana», esvaziando a suspeita de algumas autoridades de que a Rússia seria responsável pela misteriosa doença. O relatório foi criticado pelo grupo Advocacia para Vítimas da Síndrome de Havana, que emitiu um comunicado dizendo que o documento «pode ​​​​ser rotulado como ‘interino’ e pode deixar a porta aberta para alguma ú explicaçãos em o gunsás alternativas pide ser rotulado como ‘interino’ dedicados, suas familias e seus colegas, ele tem um toque de finalidade e repúdio.»

Ainda não há esclarecimento sobre una fuente eo responsável por estes misteriosos «ataques», mas o el gobernador Biden seguirá investigando un síndrome. Un também de la CIA. /EFE y WP